Coronavírus - Proteção e informação em casa! Mantenha-se atualizado. CLIQUE AQUI!

Notícias

Imagem

Projeto garante atendimento médico para moradores de Santa Mariana

Reestruturação do Sistema Municipal de Saúde zerou a fila para cirurgias eletivas e investiu na construção de Unidades de Saúde para atender a população

OUÇA ESSE CONTEÚDO:




Garantir a saúde da população é um dos deveres do Estado, presente na Constituição Federal de 1988. Para atender esse direito do cidadão, foi criado o Sistema Único de Saúde (SUS), que oferece atendimento médico gratuito. Entretanto, é comum ouvirmos reclamações sobre filas em Unidades de Saúde e Hospitais, sobretudo pelo grande número de pessoas que são atendidas. Para buscar melhorar o serviço de saúde prestado, a Prefeitura de Santa Mariana desenvolveu o projeto de Reestruturação do Sistema Municipal de Saúde: Atendimento Médico Hospitalar e Atenção Básica.

Secretária Fátima Aparecida Bergamini recebe a Menção Honrosa pelo projeto de Reestruturação do Sistema Municipal de Saúde Em 2009 a situação da saúde no município entrou em colapso. O Hospital Municipal Santa Alice, inaugurado no início da década de 1960, passou a ser utilizado como Departamento Municipal de Saúde. Com o fechamento do hospital, procedimentos médicos e exames de diagnósticos dos mais simples aos mais complexos passaram a ser realizados no município vizinho, em Cornélio Procópio. Foi então que a gestão municipal decretou situação de emergência e calamidade pública na rede de saúde, permitindo uma reestruturação do sistema.

Com investimentos dos governos Federal, Estadual e Municipal, foi possível a reabertura do Hospital, a construção e reforma das Unidades Básicas de Saúde e contratação de equipes. A unidade hospitalar presta atendimento nas áreas vascular, ortopedia, urologia, gastro, cirurgia geral, oftalmologia, ginecologia, obstetrícia, radiologia, fonoaudiologia, otorrino, psicologia, nutrição e anestesia. O município conseguiu também zerar a fila de cirurgias eletivas — aquelas que não possuem urgência — e passou a receber mais recursos federais para manutenção das atividades.

O hospital possui um custo mensal de cerca de R$ 230 mil. Entre os principais benefícios do projeto estão o atendimento mais rápido e de qualidade para a população, zerando a fila de cirurgias, e também a melhora na estrutura das Unidades de Saúde. Os bons resultados garantiram à iniciativa o Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR) em 2014 e uma Menção Honrosa em 2017, uma das premiações mais importantes desse segmento no país. Saiba mais sobre essa iniciativa no Banco de Projetos da premiação, realizada pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep).

Comente esta notícia

código captcha