Coronavírus - Proteção e informação em casa! Mantenha-se atualizado. CLIQUE AQUI!

Notícias

Imagem

População participa da gestão de resíduos sólidos em Ibiporã

Coleta Seletiva Integral recolhe materiais recicláveis, orgânicos e rejeitos, realiza a destinação correta do lixo e promove a educação ambiental com os moradores

OUÇA ESSE CONTEÚDO:




Promover a gestão adequada dos resíduos produzidos, garantindo um modelo ambiental sustentável é um dos desafios dos gestores públicos das cidades, independentemente do tamanho da população do município. Pensando nisso, a Prefeitura de Ibiporã, no Norte Central do Paraná, desenvolveu o projeto de Coleta Seletiva Integral, que trabalha com a destinação correta dos resíduos e promove a educação ambiental com os moradores.

Presidente do Samae, Edivaldo de Paula, recebe o Certificado de Reconhecimento pelo Coleta Seletiva IntegralPor meio do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), órgão responsável pela gestão dos setores de água, esgoto e resíduos sólidos, foi estabelecido um cronograma semanal para coleta dos materiais produzidos pela população. São distribuídos imãs de geladeira, folders, folhetos de orientação, além do programa de educação ambiental, tudo para manter os níveis de adesão e comprometimento com o sistema junto aos usuários.

Em 2017, após a readequação dos contratos de serviço, a coleta seletiva passou a ser autossuficiente financeiramente. Uma empresa foi contratada por meio de licitação para recolher os resíduos. Os materiais recicláveis são separados e comercializados, sendo que o lucro é devolvido para o Samae por meio de abatimento no valor mensal pago à empresa. Os orgânicos são destinados para compostagem e os rejeitos são enviados à uma trincheira devidamente impermeabilizada.

O Samae também realiza ações de educação ambiental com a população. Isso faz com que a população de conscientize sobre a importância de separar o lixo, trabalhando diretamente com os agentes geradores. São distribuídos sacos na cor verde para segregação dos resíduos recicláveis e sacos na cor cinza para segregação de rejeitos, podendo os resíduos orgânicos serem separados em sacolas de mercado ou em qualquer outro tipo de embalagem biodegradável.

Os recursos para realização do programa são provenientes da taxa de coleta de lixo cobrada juntamente à fatura de água e esgoto, que é emitida mensalmente pelo Samae. Entre os principais benefícios da iniciativa estão a gestão ambiental adequada dos resíduos produzidos pela população, que giram em torno de 40 toneladas por dia, e a participação efetiva da população, mostrando que o lixo produzido é responsabilidade de todos.

Os bons resultados garantiram ao projeto o Certificado de Reconhecimento do Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR) 2017, uma das premiações mais importantes desse segmento no país. Saiba mais sobre essa iniciativa no Banco de Projetos da premiação, realizada pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep).

Comente esta notícia

código captcha