Sindafep Seguros

Notícias

Imagem

Check-list para a sua saúde

Agora, que já estamos vacinados, é hora de retomar outros cuidados básicos de saúde para garantir uma vida mais longa e mais saudável

Há dois anos nossas vidas estão suspensas. Com a pandemia, passamos a viver à espera que o vírus nos dê uma trégua e que a vida volte ao normal. O medo de pegar a doença (e de passar a doença) ou de morrer (ou provocar a morte de alguém) fez a maioria de nós adiar viagens, festas de casamento, churrasco com amigos e, até mesmo, o cuidado com a própria saúde.

Pesquisa do ano passado detectou que três em cada dez brasileiros deixaram de realizar check-up ou consultas depois da pandemia. Agora, que já estamos vacinados, é hora de retomar os cuidados básicos para garantir uma vida mais longa e mais saudável.  E vem bem a calhar a lista publicada pelo jornal New York Times das doenças que precisamos cuidar regularmente, à qual acrescentei algumas peculiaridades nossas. Vamos a ela:

Vacinas
As vacinas estão na ordem do dia quando se trata de Covid-19, mas não podemos esquecer que nós, adultos de todas as idades, temos que colocar várias outras na nossa rotina. É o caso das vacinas para difteria e tétano, que devem ser repetidas a cada dez anos por recomendação do Ministério da Saúde. Sarampo, Caxumba e Rubéola parecem doenças só de criança, mas adultos até 59 anos devem se prevenir mesmo que tenham completado o esquema vacinal na infância. Coloque na sua lista também as doses para hepatite B e febre amarela. E tem ainda a vacina anual contra a gripe, doença que mata 57 mil pessoas por ano nos Estados Unidos.

Pressão alta
Somente nos primeiros nove meses do ano passado, 230 mil brasileiros morreram devido a doenças cardiovasculares. A maior parte das vítimas estava na faixa etária entre 70 e 79 anos. E a pressão alta é o segundo maior fator de risco para as doenças do coração - fica atrás apenas do cigarro.  Durante muitos anos, a pressão era considerada alta se estivesse acima de 14/9, mas no ano passado especialistas americanos reduziram a medida para 13/8, especialmente para quem tem risco alto de ataque do coração. Estima-se que um terço das pessoas sofrem de hipertensão, mas ao menos 20% delas nunca foram diagnosticadas. A The American Heart Association recomenda que os adultos meçam sua pressão pelo menos a cada dois anos. E pode ser naqueles aparelhos domésticos, que você compra na farmácia. Sobre este assunto, se você tem pressão alta, já sabe que o tratamento não tem mistério: medicamento e estilo de vida.

Colesterol 
"Pense no seu colesterol como se fossem os pneus na segurança do carro. Não são a única coisa importante, mas são cruciais”, disse o cardiologista Dariush Mozaffarian, ao NYT. E quando se trata de colesterol, os cuidados precisam começar cedo na vida: a checagem deve começar a partir dos 20 anos, segundo a The American Heart Association. Isso significa verificar o colesterol LDL (o ruim) e o HDL (o bom), além do colesterol total e dos triglicérides. Como é comum com outras doenças, a idade é um fator de risco, especialmente homens com mais de 45 e mulheres com mais de 55. O seu risco também aumenta muito se você fuma, tem diabetes, sobrepeso e histórico de doenças do coração na família.

Diabetes
Nos Estados Unidos, uma em cada dez pessoas tem diabetes, mas a maioria dos doentes nem sabe disso. Um simples exame de sangue pode detectar essa doença, que mata 80 mil americanos por ano.  Mesmo a tipo 2, que é a mais comum e tem laços fortes com o estilo de vida (obesidade, sedentarismo, alimentação inadequada) pode levar a derrames, ataques cardíacos, cegueira, amputações e doenças vasculares. Novamente: a idade é um fator de risco. Depois dos 45 anos, você deve checar a diabetes pelo menos a cada três anos.

*Maria Tereza Gomes é jornalista, mestre em administração de empresas pela FEA-USP, CEO da Jabuticaba Conteúdo e mediadora do podcast “Mulheres de 50”

Fonte: Época Negócios

Categorias:

Comente esta notícia

código captcha

O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (SINDAFEP) utiliza alguns cookies de terceiros e está em conformidade com a LGPD (Lei nº 13.709/2018).

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre o tratamento de dados feito pelo SINDAFEP. Nessa página, você tem acesso às atualizações sobre proteção de dados no âmbito do SINDAFEP bem como às íntegras de nossa Política de Privacidade e de nossa Política de Cookies.