Coronavírus - Proteção e informação em casa! Mantenha-se atualizado. CLIQUE AQUI!

Notícias

Imagem

Foz do Iguaçu oferece educação domiciliar para crianças doentes

Programa de Atendimento Pedagógico Domiciliar e Hospitalar busca manter os alunos afastados em dia com os conteúdos ensinados na escola

OUÇA ESSE CONTEÚDO:




Sempre que ficamos doentes e precisamos de um atestado, as atividades que desenvolvemos no dia a dia ficam em segundo plano, muitas vezes atrasadas. Para as crianças de Foz do Iguaçu, no oeste paranaense, isso não é mais problema. A gestão municipal criou o Programa de Atendimento Pedagógico Domiciliar e Hospitalar (Papedh), em que alunos que possuem atestados e estão afastados da escola podem acompanhar os conteúdos de forma individual.

Representante do prefeito de Foz do Iguaçu, Elizeu Furquim, recebe o Certificado de Reconhecimento pelo PapedhPara que o aluno possa ser atendido pelo programa, ele deve ter um atestado de no mínimo 30 dias. O diretor da escola deve então encaminhar ofício para a Secretaria Municipal de Educação, solicitando o atendimento. Depois, uma reunião é realizada com os pais, professores e equipe pedagógica para explicar como funciona o projeto. O aluno é cadastrado e passa a ter aulas no domicílio ou no ambiente hospitalar.

A técnica de trabalho do projeto é baseada na utilização de diferentes métodos na abordagem dos conteúdos com o aluno. Com planejamentos prévios, diversos recursos educativos são utilizados, como ábacos e blocos lógicos. Os recursos tecnológicos também são bons aliados do Programa. O professor participante deve ter especialização em psicopedagogia, educação especial ou educação inclusiva, aceitando o desafio tanto tecnológico quanto dos conhecimentos necessários que acrescentem em sua prática pedagógica. 

Entre os benefícios que o projeto apresenta está a manutenção da autoestima do aluno, promovida por meio de um atendimento especializado e que entende as individualidades de cada estudante. O custo anual para a iniciativa é de cerca de R$ 94 mil, divididos entre salário, veículo exclusivo, combustível e material pedagógico. Os bons resultados garantiram o Certificado de Reconhecimento do Prêmio Gestor Público Paraná (PGP-PR) 2015, uma das premiações mais importantes desse segmento no país. Saiba mais sobre essa iniciativa no Banco de Projetos da premiação, realizada pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep).

Comente esta notícia

código captcha