FÉRIAS DE VERÃO COM O SINDAFEP - Alta temporada 2019/2020 - Consulte os pacotes!

Notícias

Imagem

PAPEDH garante o acesso à educação para crianças que estão afastadas da escola

O projeto oferece atendimento domiciliar e hospitalar para crianças que estão afastadas da escola em função de tratamentos de saúde

O Programa de Atendimento Pedagógico Domiciliar e Hospitalar (PAPEDH), desenvolvido pelo município de Foz do Iguaçu, foi criado em 2015 com o objetivo de garantir o acesso à educação para crianças que estão afastadas da escola em função de tratamentos de saúde, com o objetivo de possibilitar que estes alunos estudem os conteúdos passados em sala de aula.

A iniciativa promove a integração entre saúde e educação, e ajuda no processo de recuperação do estudante. É o que conta a coordenadora e professora do projeto Hérica Cibéle Leão Soares: "o atendimento acontece duas vezes por semana, durante uma hora e meia. A escola me repassa todo o conteúdo, daí eu vou seguindo criteriosamente o que ela deu. A integração que acontece com a saúde é nos hospitais quando as crianças estão internadas. Lá a gente faz um atendimento mais humanizado não tão pedagógico com as crianças que estão na UTI, quando eu vou lá eu vou para ouvir as mães. O que a gente sempre tem que ter em mente em relação ao pedagógico para crianças é que mesmo que elas não estejam presentes na carteira escolar, elas se fazem presente. Então elas se sentem valorizadas."

Todos os 19 mil alunos da rede municipal de ensino podem ser beneficiados pelo Programa de Atendimento Pedagógico Domiciliar e Hospitalar. Basta que o responsável vá até a Secretaria de Educação, para entregar o laudo médico e o atestado com um período de, no mínimo, 30 dias de afastamento.

O atendimento solicitado pode ser domiciliar ou hospitalar. Roberta Abreu, mãe de uma aluna do projeto, ressalta a importância do PAPEDH no processo de recuperação da sua filha: "a minha filha faz um ano que ela está tratando uma leucemia. Desde que eu recebi o diagnóstico eu soube que ela teria várias restrições. E uma delas seria que ela não poderia frequentar a escola durante todo o tratamento. Então o projeto dá todo o apoio, a professora vem ensina tudo direcionada a ela. Todo que ela aprenderia na sala ela aprende em casa, então fica um trabalho bem personalizado."

Os bons resultados do projeto fizeram com que ele ganhasse o Certificado de Reconhecimento do Prêmio Gestor Público Paraná, uma das premiações mais importantes desse segmento no Brasil!

 

CONFIRA O PROGRAMA BOM GESTOR PÚBLICO PARANÁ SOBRE ESTE PROJETO:

 

Mais informações sobre este projeto e sobre outras iniciativas premiadas no Prêmio Gestor Público Paraná, você encontra aqui no site.

 

Comente esta notícia

código captcha